Alunos na Educação Superior

Esse indicador calcula a quantidade de alunos que o Brasil possui na Educação Superior. Os dados são do Censo da Educação Superior realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Esse gráfico mostra a evolução no número das pessoas que ingressam, a quantidade de estudantes matriculados e os que se formaram nos cursos de graduação presenciais por ano. Observa-se que o número de ingressantes passou de cerca de 1,2 milhão em 2001 para quase 2,1 milhões em 2016. O número de matriculados também se elevou: cerca de 3 milhões em 2001 e em 2016, mais de 6,5 milhões. O número de concluintes também aumentou no período de 2001 a 2016: 352.305 para 938.732 concluintes. Há a possibilidade de pesquisarmos também os valores de acordo com as redes das quais os alunos fazem parte, ou seja, se estão matriculados em faculdades privadas ou públicas, e dentro das públicas, se o curso é ministrado em uma instituição federal, estadual ou municipal. Quando comparamos as redes privada e pública, percebemos que a rede privada possuía os maiores números em 2016: aproximadamente 4,7 milhões de matrículas, 1,6 milhão de novos alunos e 707 mil formandos. Já a pública conta com 1,9 milhão matrículas, 505 mil novos estudantes e 231 mil alunos que se formaram em 2016. O levantamento até 2007 incluía os seguintes tipos de organizações acadêmicas: universidades, centros universitários, faculdades, e CET/FaTs (Centros de Educação Tecnológica e Faculdades de Tecnologia ). A partir de 2008, esta última forma de organização foi substituída por IF/CEFET (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia e Centro Federal de Educação Tecnológica). Esta mudança de critérios de coleta pode gerar inconsistências na série histórica.



Fonte: MEC/Inep/Sinopse do Censo Superior